Artigos

Grãos Certificados – Sustentabilidade e segurança

08/09/2021

Grãos Certificados – Sustentabilidade e segurança

Para acompanhar o movimento de um mercado cada vez mais exigente, onde os consumidores estão sempre à procura dos melhores produtos e serviços, as organizações precisam estar sempre evoluindo em busca de novos caminhos para que seus produtos estejam em conformidade com os mais altos padrões de qualidade.

A preocupação com a qualidade e com a gestão da qualidade é crescente dentro dos mais variados segmentos de mercado, que estão cada vez mais compromissados em alinhar diversos fatores da cadeia produtiva como as condições de produção, a rentabilidade dos produtores, a preservação ambiental, a redução do uso de produtos químicos, entre outros aspectos.

Nesse contexto, a certificação surge como um mecanismo organizacional que objetiva a transparência de mercados, que por meio de rígidas fiscalizações e auditorias frequentes é capaz de assegurar a conformidade dos processos produtivos em relação às normas técnicas estabelecidas.

Quando falamos em produtores rurais, a certificação não garante somente que determinado produto esteja dentro das especificações de qualidade, mas também assegura uma gestão mais eficiente de suas unidades produtivas gerando incrementos em produtividade, rentabilidade, além de propiciar benefícios para toda cadeia de produção.

Pesquisas demonstram que a certificação é capaz de proporcionar a melhoria dos resultados operacionais por meio de processos de produção ambientalmente adequados, socialmente justos e economicamente viáveis, permitindo a produção e a comercialização de produtos e alimentos diferenciados, que atendam consumidores que priorizam a qualidade.

Nós da Opta alimentos contamos atualmente com as certificações Não-OGM e ProTerra, ferramentas que nos auxiliam na missão de contribuir para o desenvolvimento agrícola e agroindustrial sustentável, e  para a valorização dos recursos sociais e ambientais.

Certificação Não-OGM

A preocupação em relação ao impacto causado no meio ambiente, na saúde humana e animal pela produção e consumo de alimentos geneticamente modificados (GM) têm aumentado entre os consumidores. Como resultado, muitos países exigem a rotulagem obrigatória de alimentos que contenham ingredientes geneticamente modificados (insumos) que excedam a quantidade determinada como limite.

Para satisfazer as demandas dos consumidores em relação à transparência e apoiar as empresas no fornecimento de materiais Não-OGM, a FoodChain ID Certificação lançou em 1999 o seu Programa de Certificação Não-OGM e a Marca Registrada Não-OGM (selo de produto) para uma fácil identificação destes produtos no mercado.

Veja o nosso portfólio completo

O Padrão Global FoodChain ID Não-OGM é reconhecido na indústria como referência para um sistema de produção Não-OGM, pois aplica uma abordagem de sistema de gestão de qualidade para a preservação da identidade. O Padrão utiliza a tomada de decisão baseada em risco para construir um programa de certificação robusto, adaptado às necessidades da organização. Os principais componentes do programa incluem avaliações de risco, rastreabilidade e amostragem/teste para a verificação de conformidade. O programa é avaliado anualmente pela FoodChain ID Certificação em relação aos requisitos do Padrão. O Padrão é aplicável a organizações envolvidas no cultivo, produção, processamento, armazenamento, distribuição, logística e ou comercialização de produtos Não-OGM. A certificação de produto pode ser solicitada para matérias-primas, derivados, aditivos, adjuvantes e produtos finais, incluindo produtos de pecuária e ração animal.

Certificação ProTerra

O padrão ProTerra de Responsabilidade Social e Sustentabilidade ambiental estabelece critérios para a responsabilidade corporativa nos setores alimentício e agrícola. É um programa de certificação que responde a demanda crescente por produtos diferenciados por critérios de produção baseados na ética, além disso, promove uma cultura de melhoria contínua nos sistemas, processos e práticas envolvidos na produção de alimentos.

A certificação ProTerra é direcionada aos produtores, processadores e usuários finais de commodities agrícolas. O padrão é aplicável a todos os terceiros da cadeia de suprimento, dentre eles os da produção primária, processamento, armazenamento e distribuição e varejo.

A certificação ProTerra é aplicável a qualquer commodity agrícola no mundo, entre elas soja, cana-de-açúcar, milho, arroz, girassol e colza. Desde seu início, mais de 10,5 bilhões de dólares em grãos e produtos à base de soja foram certificados para o Padrão ProTerra.

A Fundação ProTerra auxilia as organizações que desejam implementar políticas corporativas sociais, éticas e ambientais de ponta nas suas empresas. O engajamento com tais políticas é reconhecido através de certificação independente para o Padrão ProTerra, visando uma comunicação segura do compromisso da empresa com os consumidores, varejistas e investidores.

Acesse nosso LinkedIn: OPTA Alimentos

Voltar

Cadastre-se e receba nossas artigos e atualizações.