Visite nossas Redes Sociais.

m
Image Alt

Produção animal sem antibióticos

Atualmente uma das maiores preocupações do século XXI é quanto a produção de superbactérias, resultantes de um selecionamento do uso indiscriminado de antibióticos. Concomitante a isso, os olhos do mundo viraram para a produção animal, principalmente a produção de frangos e suínos, devido à alta utilização de antibióticos para uso veterinário e produtivo. A maior preocupação quanto ao uso de antibióticos na produção animal é pela possibilidade de se desenvolver resistência cruzada e resistência a múltiplos antibióticos.

Nesse panorama, o consumidor está cada dia mais atento e exigente com a qualidade e processo produtivos dos alimentos. É crescente o apreço do consumo saudável e sustentável, e a produção livre de antibióticos cresce atendendo a essa demanda e aos avanços das exigências regulatórias. Diante disso, o desafio da produção de ração busca as alternativas aos antibióticos, e se apresentam as tecnologias dos aditivos zootécnicos naturais que incluem ácidos orgânicos, probióticos, prébióticos , simbióticos, compostos fitogênicos, dentre outros.

A utilização dos ácidos orgânicos promove ativação enzimática, controle de bactérias por alterações no pH intestinal e melhora na produção de sais biliares. Os probióticos são organismos vivos que atuam de forma benéfica ao hospedeiro. Esses microrganismos benéficos se ligam a sítios na mucosa intestinal, “excluindo” bactérias patogênicas desses sítios. Os prebióticos são suplementos alimentares para beneficiar bactérias salutares do intestino. Quando adicionado os probióticos e prebióticos juntos temos os simbióticos, que são os probióticos com um aparato maior a sobrevivência e adaptação. Os fitogênicos, compostos vegetais potenciadores adicionados a dieta podendo ser antibacteriano, antioxidantes, anti-inflamatórios, antivirais etc.

Portanto com essas alternativas podemos inferir que a produção animal sem antibióticos é viável, e já é o futuro. O Brasil como um gigante produtor de proteína de origem animal está atento e acompanhando a evolução dos mais exigentes mercados, como a União Europeia que desde 2006 luta contra a produção animal sem antibióticos.

Balizados pela sustentabilidade e uma produção mais segura nós da OPTA possuímos em nosso portfólio aditivos zootécnicos, ácidos orgânicos, enzimas e ingredientes alinhados a atender esse desafio produtivo, assim como robusta estratégia nutricional de melhora de TGI. Para mais informações contate-nos.