Visite nossas Redes Sociais.

m
Image Alt

Taninos Hidrolisáveis

Taninos são substâncias resultantes do metabolismo secundário, ou especial das plantas, e por muito tempo só foi visto como um fator antinutricional presente nas plantas como mecanismo de defesa contra herbívoros, bactérias, fungos, parasitas etc. No entanto, com o foco de muitas pesquisas em encontrar aditivos alternativos aos antibióticos promotores de crescimento, os taninos passaram a serem vistos com bons olhos pela nutrição animal. Possuem a habilidade de precipitar alcaloides e proteínas por ligações hidrofóbicas ou ponte de hidrogênio entre outras interações, sendo essa a base para controle dos invasores citados acima.

Diferença entre hidrolisáveis e condensados

Os taninos podem ser condensados e hidrolisáveis, esse último é composto por açúcares e um ácido que pode ser o gálico ou elágico. São hidrolisáveis por ácidos ou enzimas, liberando um açúcar e um dos ácidos seja o gálico ou elágico, que posteriormente podem ser excretados.

Entretanto, os taninos condensados não são absorvidos nem excretados tão facilmente, o que em monogástricos acaba por provocar lesões na mucosa do trato gastrointestinal – TGI reduzindo a absorção de nutriente entre outros efeitos colaterais.

Os taninos hidrolisáveis têm apresentado efeitos positivos na nutrição animal, sendo utilizados como antimicrobianos, anti-inflamatórios e cicatrizantes.

Antimicrobiano

As atividades antimicrobianas estão ligadas a inibição de enzimas microbianas, privação dos substratos como proteínas e polissacarídeos necessários para a proliferação dos microrganismos, além da privação de íons metálicos. O efeito dos taninos é maior em bactérias Gram-positivas, já que as Gram-negativas possuem uma camada mais complexa de proteínas e lipídios.

Anti-inflamatório e antioxidante

Auxilia também no processo anti-inflamatório e cicatrização de tecidos epiteliais com a formação de uma camada protetora tânico-proteica ou tanino-polissacarídeos. Já a atividade antioxidante se deve ao sequestro de radicais livres.

Sendo assim, como qualquer outro ingrediente os taninos hidrolisáveis devem ser usados de forma e quantidade correta, para que se obtenha os resultados esperados sem a ocorrência de distúrbios ou intoxicação.